sexta-feira, 24 de outubro de 2008

O convite

A folha branca convida
A paz comovida
A ausência de vida:
a ida

A subida
A curva
A descida
turva:
a queda

A linha
(reta)
na folha
cor de leite
O caminho
O convite
A seta:
deleite.




(Renato Dias)

Um comentário:

Fecer disse...

Renato, seu poema está tão atraente! Já que fala em convite, ele me parece um convite no final, convidando-me à pensar e repensar, só não sabendo exatamente no que.
Não tenho muitas palavras para comentar, mas digo que ele é um poema que me "puxa", entendem?